terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Se a moda pega...

O governo da Holanda tem fama de ser o mais liberal do mundo em relação às drogas. Há praças públicas onde elas podem ser consumidas livremente. Gente que já esteve por aquelas bandas diz que o "espetáculo" é deprimente. Acredito.


Mas duas empresas de Amsterdã resolveram ir além: lançam dois licores - o Squeeze Hennep e o Kierewiet - feitos com extrato de maconha. As novidades foram reveladas durante a feira internacional de bebidas Horecava.

Os licores serão vendidos normalmente em supermercados e lojas especializadas. O porte de até 5 gramas de maconha por pessoa, a venda em estabelecimentos autorizados e o consumo são permitidos no país desde a década de 70. Não se anime, a importação não está autorizada.

8 comentários:

Anônimo disse...

Mais uma vez nosso caro botafoguense dá uma demonstração da sua pouca seriedade no trato das questões de valença. O que valença tem com isso? Qual a relevância desta informação para a mudança cultural e social que (parece) este blog objetiva? Me responda estas perguntas caro botafoguense! Sem mais, por enquanto.

Estrela Solitária disse...

Anônimo(a).

Nada melhor do que um sorriso no rosto e a alegria no coração para tratarmos os problemas com mais seriedade e a empolgação necessária para solucioná-los.

Este blogue, em sua essência, não se destina exclusivamente a debater Valença. Mesmo porque a maioria deste grupo, infelizmente, somente se encontra na querida terrinha ao final de semana.

Queremos discutir a Valença em que vivemos, mas também o mundo no qual fazemos parte (inclusive para seu aquecimento).

Sendo assim, temos aqui um espaço democrático, onde as postagens possuem uma gama ilimitada de assuntos (política, economia, saúde e também algumas curiosidades, mesmo que pareçam "besteróis").

Sendo assim, postei esta mensagem (e outras) para um momento de descontração perante à realidade que estamos inseridos.

Conto com seus sorrisos e, claro, suas belas críticas em relação às minhas postagens alvinegras.

Um grande abraço e feliz 2008,

Estrela Solitária

Fael disse...

Muito boa resposta bebeto! a revolução não será feita de cara feia, mas com um sorriso no rosto e o amor no coração.

Anônimo disse...

Fora o fato de ser botafoguense, considero interessante - não todas, é verdade - algumas postagens desse fanático alvinegro. Talvez exagere em algumas, o que não quer dizer que o exagero faça parte e seja importante para as discussões dentro do blog.

O que acho também é que pensar Valença não se resume a textos estritamente sobre Valença, mas que insiram nossa cidade dentro de um contexto maior. E de Valença ou não, algumas curiosidades estimulam, vide o famigerado (o que significa essa palavra? Pensei nela e fui logo escrevendo) biog Brother, com audiências exorbitantes (que também não tem muito a ver com Valença, mas que faz parte da vida desse nosso povo).

Abraços anônimos e que festa de anviersário é essa em abril?

Anônimo disse...

Olha, caro anônimo que me está acima, não acho que o que você disse quanto ao big brother é análogo ao texto que o nosso querido alvinegro apresentou. Porque postar mostrando sobre a irrelevância do big brother e sua conseqüente deterioração do espaço público (no caso a tv) é simplesmente mostrar o quanto tal fato prejudica a nossa nação e, por conseqüência, Valença.

Agora, falar de bebida, com o intuito de mostrar uma excêntricidade de uma cultura e aproveitando esta para fazer uma brincadeirinha (que em outro espaço teria graça), não é mostrar o quanto o fato da bebida tomada em grandes proporções pode prejudicar a sociedade.

Portanto, sua anologia não foi boa e o argumento utilizado pelo alvinegro e por esse tal de fael não me é nada convincente, parece mais que se buscou articular palavras para defender algo que eles mesmos não têm muito interesse em defender, mas defendem para não perderem a razão em público.

Por enquanto basta.

Anônimo disse...

Como você mesmo disse, eu sou o anônimo que está acima de você, portanto, recolha-se à sua inferioridade.

Fael disse...

"Esse tal de fael" não buscou lhe convencer de nada, até porque, "esse tal de fael" não acredita que pode convencer alguém que não quer ser convencido.

Se você acha que eu quis defender, só por defender, a posição do bebeto, eu não posso fazer nada. Mas eu lhe digo que não é verdade (embora saiba que não irá acreditar). Eu acredito, sim, que devemos brincar para exercitarmos nossa alegria. Afinal, sem alegria nos tornamos indivíduos carrancudos que são incapazes de alegrar alguém, imagina cooperar para uma sociedade justa.

Samir Resende disse...

acho que esse anônimo é anônima