quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

O ópio do povo

“A religião é o ópio do povo” - Karl Marx

Ontem, estreou na televisão brasileira, pela Rede Globo, mais um Big Brother Brasil, para os mais íntimos, o BBB. Nos próximos 3 meses inevitavelmente este será o assunto dominante nas mesas de restaurantes, rodinhas de amigos na escola, no cafezinho do trabalho. Ninguém escapa. É o programa que, chuto eu, tem alcance indiscriminado entre todas as classes sociais. Até aqueles que dizem odiar, ou os que simplesmente não se interessam acabam sendo contaminados, ou no mínimo, se sentindo deslocados e acabam dando uma “espiadinha”, como manda Pedro Bial.

Se Marx tivesse tido tempo diria: “A televisão é o ópio do povo”.

5 comentários:

Anônimo disse...

vamos fazer um bolão!

Anônimo disse...

Li uma resposta do Boninho, o diretor do programa, que resume muito bem isso.

“Pergunta: O BBB tem bons índices de audiência, mas é comum ouvirmos que o programa não tem nada a acrescentar. Como você responde às criticas?”.

“Boninho: Faço televisão.”

marianna disse...

boa reflexão.
eu acho que o problema não é só o modo como se faz televisão no brasil (me parece que isso agrava o problema), e sim a relação que nossa sociedade tem com o universo midiático. a forma como a televisão influencia a realidade, reproduz a realidade e institui a verdade. mais do que fazer uma "boa programação" é necessário que mudemos a nossa relação com o aparato, com a própria programação, fazendo com que ela deixe de ser "ópio".

Fael disse...

Caramba! Essa mariana fala bonito pacas!

marianna que fala bonito disse...

não tanto quanto o rapaz aqui de cima. que também canta e faz poesias bonitas.