sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Reflexões Eleitorais

Teoricamente, quando se tem um quadro eleitoral tão polarizado, ou seja, com algumas candidaturas com possibilidade de vitória, a regra de pensamento é que essas candidaturas brotem de setores diferentes da sociedade, além de divergirem na linha ideológica e prática.

Espantosamente, não é o que ocorre em Valença. As quatro candidaturas com potencial vitorioso, são todas do campo conservador, regidas pelo personalismo, e, que o próprio candidato ou seu grupo político já participou das esferas de poder do município contribuindo com o não desenvolvimento da cidade, além da expropriação e exploração da classe trabalhadora, fazendo com que Valença seja um grande bolsão de pobreza e um claro exemplo do abismo social que a política assistencialista e personalista, construiu para se manter como classe dominante e se perpetuarem no poder.

Devido a essa falsa polarização, o que mais percebemos nesse momento pré-eleitoral em Valença é a lógica do voto no “menos pior”. O que é por demais perigoso, por que nem sempre o “menos pior” é o melhor, ou ainda, o “menos pior” pode ser tornar o pior num futuro bem próximo. Já que é uma linha muito tênue que os separa, por isso é bom tomarmos um cuidado especial com esse tipo de análise.

Vale fazer uma ressalva que não existem só essas candidaturas, deve se analisar também as candidaturas com menos recursos, que aparecem menos, por motivos óbvios, não fazem parte do mecanismo de cooptação burguesa.. Talvez essas candidaturas possam aparecer com uma nova possibilidade e uma nova perspectiva de se fazer política em Valença, mostrando viável uma nova alternativa, ou não.

Esta bem claro que a cidade de Valença, não precisa mais de personagens que só por sua presença vão solucionar toda a problemática que envolve a cidade. Enquanto essa política personalista que sempre envolveu a cidade continuar não encontraremos soluções viáveis para a juventude, para o campesinato, para o desemprego, para habitação, enfim, para tantas demandas sociais que se fazem presentes hoje em nosso município.

Portanto, é fundamental que abandonemos os personagens (já que por trás deles há um forte grupo político) e as promessas eleitoreiras e nos atenhamos na questão programática e no histórico político dos candidatos. Pois, a partir do programa teremos a sensibilidade de perceber qual o comprometimento dos candidatos com as verdadeiras necessidades que a cidade e a sociedade apresentam. E, observando o histórico poderemos analisar o que eles já realizaram ou deixaram de realizar nessa cidade que tanto precisa de uma revolução política para tomar um caminho de mudanças estruturais com desenvolvimento alternativo, para a construção de uma sociedade justa, democrática, fraterna, sem exploração do homem pelo homem, focalizando sempre um caminho anticapitalista.

Pois tanto em Valença, como no Brasil, na América Latina e no Mundo não há espaço para a conciliação de classes!


Danilo Neves Vieira Serafim , estudante de Direito

13 comentários:

Anônimo disse...

Fico triste em ver um jornal que busca ser de vanguarda na cidade tenha uma visao retrograda como essa.

Falar de anti-capitalismo hoje em dia é realmente ter um pensamento contra o desenvolvimento de nossa Cidade em todos os niveis.

Temos que buscar sim uma melhor qualidade de vida para a populaçao, nas areas da saude, educação, acesso a cultura, melhores condiçoes para que as pessoas possam buscar "trabalho" e não o emprego, como tem se visto esses candidatos gritando para todo mundo ouvir que vao trazer.

Mas isso não e tão facil assim, e uma simples mudança de visao polica nao eh a soluçao. Temos que pensar e discutir alternativas viaveis e reais para o municipio de valença. Que ´euma cidade escassa de recursos, portanto dificil de gorvernar.

Anônimo disse...

Estive refletindo sobre os dois comentàrios e achei como é diversificada as escritas e opiniões. Tenho pouco estudo mas sei perfeitamente o que é querer e não poder ter. O que é conservadorismo e capitalismo apesar de ter pouco estudo. Mas vamos escrever o Pôrtugues claro em tópicos.
01- aos visitantes: - O candidato Vicente Guedes vem com uma proposta bem interessante que é a de mudar a cara de Valença e com a cara mais safada do mundo vem nos propor tudo o que está faltando em sua cidade que é saúde, educação,cursos, faculdades, lazer,enfim responsabilidades de qualque ser que ocupa um cargo público.
02- Luiz Antônio: ainda nos é talvez, a sauvação da lavoura pois daqui a dois anos terão novas eleições para Deputado e se não abrir o olho e cumprir com seu mandato seu filho, acima citado, não se reelegerá.
03- Fabio Vieira: poderia ter sido o melhor Prefeito que está cidade já teve pois tinha tudo a seu favor "não ter o rabo preso com ninguém" mas nunca vi um grupo tão perdido, desorganizado, desprovido de capacidade administrativa e experiência abaixo de zero.
Vivili: um peixe fora d'agua que se agarrou a um galho fraco pra tentar ser forte. Que como Diretora do Cimee fez um bonito papel mas como Prefeita talvez por lhe faltar experìência não consiga alcançar seus objetivos. Frustando a nos valencianos.
Álvaro Cabral: um homem sério e dinâmico mas com ar ditatorial e escolhendo para cargos comissionados pessoas que se assemelham com seu semblante se esquecendo que nesta cidade, quase que totalitariamente, seu povo é simples, pobre e inocente e que os funcionários públicos são mal assalariados, os menos favorecidos em seus cargos trabalham mais e recebem menos.
Afonso Diniz: - Apenas querendo ter uma bela ceia de natal e curtir com a familia um explendido final de ano em algum lugar paradiziaco.
Votos Brancos e Nulos: - descreve ao meu modo de ver toda a insatisfação popular tais como:a falta de emprego que ninguém resolve, o fundo de garantia dos funcionários públicos que ninguém vê, melhor assistência médico-hospitalar para os moradores mais carentes desta cidade, à vinda de outra empresa de ônibus com mais eficiência, asfaltamento de ruas que se afundam a cada dia que passa, o esgoto que transborda, a iluminação que se é cara, trabalho de tratamento dentário nas escolas do municipio,enfim estes são apenas algumas das insatisfações e não será na base do conservadorismo que se irão resolver as insatisfações acima citadas.

Anônimo disse...

Acabei de abrir o blog, não votei e achei simplesmente magnifico o que o anônimo acima acabou de digitar. Que Deus lhe abençoe e lhe proteja. Você talvez tenha expressado o que eu e muitos valencianos gostariamos de escrever. Adorei.

Danilinho Serafim disse...

Caro anônimo 1,
quando eu, um marxista convicto, falo em anticapitalismo abranjo todo o conceito que envolve o capitalismo e a antítese desse modelo é a minha luta. Mas, nesse caso pode ser encarado como anticapitalismo para valença é a "despriorização" dos interesses da burguesia, do grande empresariado, do capital em detrimento do social, em detrimento da emancipação de homens e mulheres que tem sua força de trabalho e sua vida exploradas e expropriadas pelo capital.
É isso.

Estrela Solitária disse...

Resumindo o que o Danilinho falou com as palavras do anônimo 2:

"...a falta de emprego que ninguém resolve, o fundo de garantia dos funcionários públicos que ninguém vê, melhor assistência médico-hospitalar para os moradores mais carentes desta cidade, à vinda de outra empresa de ônibus com mais eficiência, asfaltamento de ruas que se afundam a cada dia que passa, o esgoto que transborda, a iluminação que se é cara, trabalho de tratamento dentário nas escolas do municipio,enfim estes são apenas algumas das insatisfações e não será na base do conservadorismo que se irão resolver as insatisfações acima citadas."

Isso é anticapitalismo! Isso é buscar um modelo onde o social tenha prioriade em vez do capital concentrado, das empresas que exploram a água, das multinacionais que exploram o campo (sim, muitas das terras de Valença possuem vínculo com estas grandes multinacionais agrícolas).

Por isto acreditamos que uma luta anticapitalista não é retrógrada, não acreditamos em "o fim da história" como pregam muitos.

Anônimo disse...

meus caros, discordo de voces

Esses problemas que o amigo cita nao ocorrem simplismente porque Valença esta incluido num modelo catipalista.

Mas sim porque eh um municipio pobre e mal administrado! Temos que entender as regras do jogo(capitalismo) e buscar da melhor maneira reverter esse quadro de pobreza, assim como outros cidades fazem.

E não tentar lutar contra o que podese considerar como o melhor sistema economico implantado ate hoje.

Ele não é o ideal, sim. Mas se formos analisa-lo friamente foi atraves dele que conseguimos os maiores avanços em relação a melhora da qualidade de vida das pessoas mais pobres ao longo dos anos.

saudações liberais

Anônimo disse...

simplismente [2]

sdçs liberais (u) (u) (u)!

Aposto que foi o gaystavo forte que postou essas saudaçations, hihihihi

Sacanagem, foi o fred04!

Danilinho Serafim disse...

Prezado anonimo liberal, gostaria de entender que melhores avanços são esses que o modelo liberal trouxe para a humanidade?

a) O abismo social, a concentração de riquezas na mão de uma parcela ínfima da população.

b) O aquecimento global, a proximidade de um colapso climático.

c) A falta de possibilidade de ascenção social através do trabalho, ou seja, a perpetuação da classe dominante e expropriadora.

d) A criminalização da pobreza, a legitimação da classe dominante para guerra contra a classe explorada e expropriada pelo capita.

e) Todas as alternativas anteriores.

Ps: todos podem responder, não só anonimo liberal.

Saudações Comunistas!!!

Anônimo disse...

Leandro......

Grande Danilinho, gostaria de estar presente em nossa querida cidade para acompanhar todo esse processo eleitoral que é de extrema importância para o futuro de Valença.
Não só gostaria, mas quero um dia voltar convicto da minha vontade de participação política.
Eu voto em Valença, e jamais vou deixar de colaborar com o nosso povo.
E, como estudante em fase de aprendizagem que somos, é bom nutrir nos seios de cada um de nossos pensamentos a ânsia comunista, o poder da democracia e também da vigilância política.


dejesuss19@yahoo.com.br

Anônimo disse...

Se voce olhar para a historia da humanidade vai perceber os progressos!

O que voce citou são os problemas que ainda nao foram solucionados, mas como ja disse se voce olhar para os tempos mais antigos vai perceber como ja avançamos, e para esses problemas se resolverem e uma questao de tempo.

Mas voce me parece mais um peseudo-comunista, ou talvez um comunista de boutique. Que critica as grandes corporações, mas compra as camisas fabricadas por elas com o rosto de Che.

por falar em grandes corporações, voce pode me dizer quais sao elas e se voce faz algum boicote a elas? ou so fica nesse discurso esquizofrênico

Danilinho Serafim disse...

Conhecido anonimo,
discurso esquizofrênico é aquele que se prende ao animato e não tem coragem de aparecer e discutir como uma pessoa realmente convicta de suas idéias. Apareça!

Realmente eu não consigo ver essas melhorias pra sociedade.Inclusive, vejo mais desigualdades e injustiças sociais como aquelas supracitadas dentre outras.

Bem, não tenho nenhuma camisa do Ernesto Guevara e nem sou pseudocomunista nem comunista de boutique. Sou sim um grande defensor e seguidor das idéias de marx, lenin, trotsky, gramsci, etc. Tento fazer o que eu posso com a minha militancia para tentar combater a exploração e a expropriação da classe trabalhadora pelo capitalismo.

E acredito que o nosso coletivo, o VQ, tambem. E vamos continuar defendendo o anticapitalismo (porque não posso afirmar que além de mim os outros do grupo sejam comunistas) pra que a nossa cidade, nosso estado, nosso país e o mundo melhor, sem desigualdade e exploração do homem pelo homem...

Anônimo disse...

não fuja nas minhas perguntas!

qual o boicote que voce faz as grandes corporações?







ja percebi que so faz discurso vazio, sem ideologia.

Danilinho Serafim disse...

Caro anonimo,
só de andar vestido nós rompemos com qualquer boicote às grandes coorporações e ao grande empresariado. Então não vou usar desse pragmatismo burro pra qualificar minha militancia e meu esquerdismo.