quinta-feira, 10 de julho de 2008

Boemia após a morte. Amém!

Passando pelos bares e ouvindo os sambas eternos dos grandes mestres do passado, surgiu uma inquietante pergunta: será que existe butiquim no céu?



















Imagine só poder estar ao lado de Noel Rosa, Nelson Cavaquinho, Cartola, Moreira da Silva, João Nogueira, Clementina, Wilson Batista, Ismael Silva e tantos outros, e não existir um butiquim com roda de samba, cerveja gelada, um cozido bem temperado, caju amigo!


Desde hoje faço minhas preces. Confesso estar realmente preocupado. Caso a vida eterna siga à risca o estereótipo de anjos saltando de nuvem em nuvem, harpas por todos os lados e aquela paz literalmente celestial, pedirei imediatamente a reencarnação!

Porém, algo me diz que os bambas perceberam o problema assim que chegaram lá, e desde então, o céu tornou-se o verdadeiro paraíso imaginado por Olorun, Deus, Jah, Brahma (esse então!), Zambi, Guaraci etc.


Esta noite eu sonhei com uma roda de samba no céu
Com Pixinguinha, Donga, Almirante, Sinhô, Ismael...
Noel Rosa versava
Wilson Batista respondia
Batucando num prato
João da Baiana sorria
Geraldo Pereira sambava
Marília Batista cantava
Araci de Almeida gingava

E Tia Ciata gostava
Era um samba de roda meio maxixado
Muito ritmado
Que Ataulfo Alves dizia ser samba rasgado
Se achegaram Vinícius, Heitor dos Prazeres, Padeirinho
E Cartola tocando a viola do Nelson Cavaquinho


(Martinho da Vila)

Um comentário:

Samir Resende disse...

P.o.h.a.!

Minha foto, com um copo de caipirinha e outro de cerveja na mão, mais chapado que o Bozo e mais careca que o Murphy do Robocop...

...Assim vc me desmoraliza perante a mulhegada, meu cumpadí!

Apaga isso aê, apaga?! rsrs