terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Hoje, somos todos palestinos*

"Sou palestino. Palestino não tem olho? Não tem mãos, órgãos, altura, peso, sentidos, afeições, afetos, paixões? Não come a mesma comida, não morre pelas mesmas armas, não padece as mesmas doenças, não se cura pela mesma cura, não se aquece no mesmo verão e não congela no mesmo inverno, como o judeu? Se nos furam, não sangramos? Se nos fazem cócegas, não rimos? Se nos envenenam, não morremos? Se nos fazem mal, não nos podemos defender? Se somos iguais em tudo, não reclamem de sermos iguais também nisso… A vilania que nos ensinaram, nós a aprendemos; seremos vis; menos vis que vocês, sim, porque viemos depois. Aprendemos com vocês, mas a vilania purga-se, no tempo. Mais do que isso, não posso prometer."

Adaptação de trecho do “Mercador de Veneza” de Shakespeare, por Tariq Ali

- Há uma resolução da ONU que determina a existência de um Estado da Palestina e um de Israel;

- Os EUA vetaram essa resolução no Conselho de Segurança;

- Israel optou por levar adiante uma guerra que já dura 40 anos;

- A mídia ocidental diz que a guerra está fincada no fundamentalismo religioso. Essa mentira legitima o assassinato de muçulmanos, o preconceito e mais mentiras sobre os povos do Oriente Médio e sua religião;

- Alguns estudiosos andam afirmando que pensar dois Estados separados é inviável. Afirmam que só haverá paz quando for criado um Estado onde os dois povos convivam em paz.
Leia
um deles aqui, o escritor Tari Ali;

- Eu não sei qual é a solução. Eu só sei que enquanto existirem explorados e oprimidos a paz não existirá;

- E é isso que Israel busca ao perseguir o Hamas, movimento democraticamente eleito pelo povo Palestino: opressão;

- Como bem disse o professor Gilson Caroni: “desde o massacre no Sul do Líbano, em 82, passando pelo sufocamento de duas intifadas, não é o terrorismo de fanáticos que Israel persegue. Na região conflagrada, o movimento palestino era o mais progressista projeto de resistência, o mais prenhe de valores da modernidade. O mais rico em termos culturais. As pedras dos jovens árabes defenderam da insanidade uma herança cara ao Ocidente”;

- Nunca é demais lembrar que a Faixa de Gaza mede 46 km de comprimento e 10 km de largura, lá vivem mais de 1 milhão de habitantes. Não é um estado, mas está submetido aos mandos e ao bloqueio de Israel. Para sair da área, os moradores de Gaza precisam obter uma permissão dos israelenses;

- Esse é o povo (de forma bem resumida), que sem Estado e sem liberdade, submetido há 40 anos ao poder de fogo do mais poderoso exército de ocupação do mundo, reclama por sua independência, liberdade e vida, atirando foguetes de quintal;

- A resposta vem em mísseis que matam 500 pessoas em uma hora;

- O G-8, a ONU, Obama e todo o Ocidente assistem em silêncio a esse massacre. Não por falta de sensibilidade ou maldade, e sim por interesses que transcendem os sentimentos individuais dos seres humanos;

- Afinal de contas, há muito deixamos de viver motivados por sentimentos. O que nos move, o que nos dá vida e o que rege estas vidas, é ele: o capital.
________

Tem uma galera com um blog direto de Gaza, o Moments of Gaza. Vale a pena ler, já que Israel proibiu a entrada de jornalistas na região:
http://gaza08.blogspot.com/

* A expressão do título é do sociólogo Emir Sader

** Muitas das informações aqui presentes foram tiradas da excelente cobertura da
Agência Carta Maior sobre o tema

5 comentários:

fael disse...

Valeu Clementina pelos sites. eles são bons mesmo.

Anônimo disse...

Sou funcionário público e não desmerecendo ao texto escolhido e nem tão pouco a pessoa que o idealizou e nem tampouco ao blog venho, mesmo que anonimamente desabafar. Como é cômica a situação. Valença se afundando em merda e o assunto é o Oriente Médio, temos no presente um ex prefeito cagão, fujão e ladrão. Que sacaneou e afundou esta cidade, com seus cidadãos e funcionários públicos na lama e o assunto é o Oriente Médio. Até o presente o funcionário ainda passando necessidades básicas de arroz com feijão na mesa e o ex desfilando em seu carrão pela cidade. Cadê a justiça, cadê os comunistas de plantão, cadê corpo Juridico, cadê todo mundo, sumiu! Cadê a elite. Pelo visto, pagamento, décimo terceiro, prioridade e respeitabilidade tiraram férias, cadê o manifesto desse blog.Mas vale dizer que um avião sumiu com três pessas em Valença do que cobrar a quem se deve ser cobrado o dinheiro que enfiaram desavergonhadamente no bolso dos funcionários públicos de Valença. Lá fora tão dizendo que Valença é a cidade dos prefeitos bunda suja, até quando. Eu digo. Vai melhorar no dia em que pararem de desviar nossa atenção para textos que a nos não têm importância e nos ligarmos a textos sobre a covardia que vem se fazendo ao funcionário público municipal nesta cidade.
Rogério Tez Meirelles.

Capilo disse...

Rogério Tez (?), espanto-me como uma pessoa pode se sentir alheio ao que acontece hoje na Faixa de Gaza. É muita falta de humanidade.

Discordo, portanto, da sua acusação de que falamos aqui da situação de massacre por lá para "desviar a atenção das pessoas em relação aos problemas de Valença". Longe disso. Poderia me alongar explicando as razões da importância da divulgação da situação por lá, mas não acho que seja o caso.

Mas concordo que a situação em Valença é mesmo ruim. Inclusive por aqui (no blog), não nos omitimos em relação a isso. Pelo contrário.

Eu não sou funcionário público em Valença, mas se o fosse, além do que você já fez - se manifestar por aqui - tentaria mobilizar meus parceiros de trabalho que passam pela mesma situação.

Outra possibilidade de divulgação desses problemas é este mesmo blog, que realmente não tenta desviar a atenção das pessoas para os problemas de nossa cidade. Tanto pelos comentários - como você já o fez - como escrevendo um texto e nos enviando para colocarmos como postagem (e com mais destaque do que o comentário)que explique melhor a situação assustadora que encontra o funcionalismo em Valença. É só nos enviar: valencaemquestao@yahoo.com.br

abs.

Anônimo disse...

Adriano,
concordo com ambas as partes. Primeiramente temos que saber notícias sobre o Brasil e o mundo mas de realidade e de humanidade por humanidade fico com a nossa porque a vemos, ouvimos e sentimos todos os dias, acho que em minha opinião que enquanto estiverem as ditas famílias com sobrenomes tradicionais poluindo nossa cidade e exercendo altos cargos dentro da Prefeitura, Valença não chegará a lugaR nenhum. Para terem uma ideia trabalho fora e moro aqui lá, ao invés de Princesinha da Serra Valença é ironicamente chamada de "a coitadinha da serra", "a pobrezinha da serra" e assim sucessivamente. Não cabe a nós escolher-mos o Secretáriado de um Prefeito mas nos é devido ao alertar sobre os bons que se foram e os ruins que teimam em ficar. Esses que ficam e que são novamente chamados apenas flutuam mas por mera imcompetência por serem apenas oportunistas afundam o nome de quem os chamou. Ex: No Governo passado qual a Secretária e o secretário que funcionou. Que melhoras tivemos na Saúde, Educação, Esporte e Lazer, Industria, Trânsito, Bem estar social, Econômia. Quantos ainda estão do Governo passado vagabundeando dentro da prefeitura ou quantos que viram o barco afundando e so esperando já do lado de fora na torcida para que neste voltassem novamente com o prefeito eleito. Vocês acham que este povo que ficou e os que lá estavam, sairam e agora estão retornando vão fazer algo de bom? Mesmo o Vicente sendo competente acho dificil não impossivel, mesmo estando cheio de boas intenções acho incerto pois são anos e anos de incopetencias e incompetentes, de incapacidade e oportunismo e etc... etc... etc... Mas aqui ficam os meus votos que sejam Rogério resolvidos os problemas dos funcionários públicos, que Deus ilumine a mente e os passos do prefeito e que isso jamais volte a acontecer pois um homem sem trabalho e salario não é ninguém se sentindo humilhado e indigno.
Adriano Duque Montes

maicher disse...

Read your article, if I just would say: very good, it is somewhat insufficient, but I am still tempted to say: really good!
runescape gold